Dicas para melhorar a retenção de alunos

por Mariana Silva em 12/Sep/2018 ⇠ Veja outros Posts

A educação à distância foi um dos segmentos que mais cresceu no Brasil nos últimos anos apesar da crise econômica. E os números provam isso. Só na graduação, o número de matrículas em cursos a distância aumentou de quase 50 mil alunos inscritos em 2003 para mais de 1,3 milhão em 2016.

Apesar do aumento na procura, melhorar a retenção de alunos tem sido um desafio constante para as instituições de ensino a distância. Fazer com que os estudantes permaneçam e concluam os cursos ou treinamentos é algo que demanda um esforço contínuo e que muitas vezes pode não estar diretamente ligado à qualidade do serviço ou nível de interesse.

É preciso trabalhar sempre na fidelização de alunos para garantir o sucesso dos negócios. Existem várias práticas e atitudes que podem ser adotadas para esse fim, inclusive já tratamos de algumas aqui no nosso blog. O post de hoje traz algumas dicas que vão ajudar a melhorar a retenção de alunos que podem ser tomadas a partir de agora!

Entenda o fenômeno da evasão

São diversos os motivos que podem influenciar a evasão. Para nós ela é definida como quando o aluno, depois de matriculado, abandona o curso ou treinamento, não importando em qual etapa esteja.

A instituição de ensino a distância, assim como as instituições tradicionais, devem saber identificar a principais razões e trabalhar para que elas possam ser contornadas, garantindo a continuidade dos curso, bem como a satisfação e o aprendizado dos alunos.

O Censo Ead.Br de 2015, último a ser divulgado pela Abed (Associação Brasileira de Educação a Distância), revela alguns dados interessantes que podem ajudar. Esse censo oferece informações qualitativas e quantitativas sobre as atividades de EAD no Brasil a partir de um relatório análitico que mapeia as tendências no setor.

O estudo apontou que os cursos a distância tem mais dificuldade na retenção de alunos que as instituições de ensino tradicionais. As taxas da Abed registram um índice de evasão de 26% ­‑ 50%, com 40% das ocorrências nas instituições que oferecem cursos regulamentados totalmente a distância.

O estudo da Ead.Br também revela que o tempo, seguido por razões financeiras, é o fator indicado pela instituições como o que mais influencia na evasão, e que esse fenômeno não é justificável nos casos dos cursos totalmente à distância, pois os alunos sempre tem a opção de voltar. 

Invista no atendimento e relacionamento com o cliente

Um bom atendimento ao cliente não pode de forma alguma ser abandonado depois da venda. Após a matrícula, o relacionamento precisa ser ainda mais próximo e facilitado.

Garanta que toda a equipe de atendimento esteja sempre muito bem treinada e preparada para lidar com as demandas do público e informada sobre todos os produtos e serviços prestados.

Mostre-se aberto a receber dúvidas, comentários, sugestões e a resolver os problemas sempre que a solução estiver ao seu alcance. Ofereça, na medida do possível, todos os canais de comunicação com o cliente e garante que eles estão funcionando plenamente. Isso demonstra que a sua instituição se importa com os alunos.

Ferramentas como o e-mail marketing e o SMS, produção de conteúdo relevante para seu público veiculado em posts de blogs e redes sociais também ajudam a construir uma boa imagem conferir autoridade em determinados assuntos, além de manter seus alunos sempre atualizados e informados.

Plataformas simplificadas

Além dos motivos citados acima, uma outra razão que influencia na evasão dos alunos é a não adaptação à metodologia EAD. A grande maioria das pessoas ainda têm uma noção bem tradicionalista de ensino e educação e podem ter uma certa dificuldade e resistência ao modelo à distância.

Uma maneira de minimizar essa primeira barreira e facilitar a transição para essa nova forma de aprendizado é assegurar que a plataforma dos cursos seja bem intuitiva e que tenha boa usabilidade.

Dessa forma, até mesmo pessoas que talvez não sejam tão familiarizadas com o uso de computadores e internet terão facilidade em navegar e acessar todas as funcionalidades, além de realizar as tarefas rotineiras como baixar e submeter materiais, entrar em contato com instrutores, etc.

Os alunos não podem ter dificuldade em encontrar o que procuram, por isso a estrutura e os conteúdos da plataforma devem ser muito bem organizados e objetivos.

O design responsivo também é outra boa ferramenta para adotar. É o que permite que o aluno consiga  visualizar os curso da plataforma também em tablets ou smartphones, conforme o que tenha preferência.

Inove na metodologia

Varie entre aula gravadas e ao vivo quando for possível. Aulas em tempo real podem ser mais espontâneas e o aluno pode sentir que aquele conteúdo é mais pessoal, personalizado e atual, já que está sendo produzido no momento.

Outra forma de inovar e personalizar o ensino é oferecendo acompanhamento individual, sendo possível visualizar o progresso de cada aluno que esteja matriculado..

Caso não seja possível marcar encontros esporádicos e adotar o modelo semi-presencial, Fóruns são uma ótima maneira de estimular a interação dos alunos entre si e os instrutores. O ideal é que haja um moderador que incite sempre discussões positivas sobre os assuntos tratados nas aula e em outros materiais.

Esse tipo de recurso, além de favorecer a absorção de conhecimento, ainda ajuda a manter o interesse dos estudantes no curso sempre vivo, já que o processo de aprendizagem fica mais dinâmico, menos engessado.

Mesmo que o curso seja a distância, também é importante oferecer algum tipo de suporte presencial. Além de melhorar a credibilidade de sua empresa, os alunos se sentirão mais amparados.

Auxilie no lado financeiro

As coisas começam a ficar um pouco mais complicadas quando trabalhar a retenção depende de algo que não está totalmente em nossas mãos, como é o caso de estudantes ou trainees que estão passando por dificuldades financeiras.

Por mais delicado que seja o assunto, é possível tomar algumas soluções para que o número de desistências diminua.

Considere adotar em sua empresa ou instituição, alguns incentivos como bolsas de estudo e opções de crédito. Você também pode oferecer, por exemplo, programa de descontos progressivos que varia de acordo com o bom desempenho do aluno. Assim, além de incentivar uma participação ativa, fica mais fácil evitar uma evasão precoce.

O incentivo por meio de bolsas de estudos, descontos nas mensalidades de acordo com o perfil do discente, financiamentos privados e renegociações da dívida pendente são maneiras eficientes e motivadoras.

Além disso, há também a possibilidade da instituição criar o seu próprio programa de crédito estudantil: enquanto oferece ao aluno uma forma de arcar com seu curso, como contrapartida ele é cobrado para ter bons rendimentos nos estudos.

Essas foram as nossas dicas de hoje para melhorar a retenção de alunos nos seus cursos. Esperamos que com elas você já consiga pensar em estratégias de gestão de evasão e permanência. Assine a nossa newsletter para ficar sempre ligado no nosso conteúdo recebendo nossas atualizações. Até o próximo post!

 



Conteúdo criado em novembro de 2017 e atualizado em setembro de 2018 

 

Mariana Silva

Mariana Cordeiro é jornalista e especialista em marketing de conteúdo. Escreve para o NeritEduca e está sempre em busca do que há de mais novo no mercado educacional.

Deixe seu Comentário

Você também pode se interessar

Ligue agora:

11 4380-6606 31 3047 5405

© NeritEduca

by nerit